logo

Eletrosmog

O que é eletrosmog?

A palavra “smog” é composta de duas palavras inglesas: smoke: fumaça e fog: neblina. Smog significa poluição da atmosfera. Hoje em dia fala-se também muito eletrosmog que é smog proveniente de ondas eletromagnéticas, as quais provocam a poluição do meio ambiente por irradiações.

A sobrecarga do meio ambiente com eletrosmog resulta em Eletrostress para o homem.

O homem não possui um sentido para o Eletrosmog proveniente do micro-ondas, campos elétricos e eletromagnéticos. Ele simplesmente não o percebe, pois não sente, cheira, vê, ouve nada, se e quando ele se torna vitima de tal irradiação. No decorrer do tempo , entretanto, vivencia os efeitos do Eletrostress: dores de cabeça, distúrbios rítmicos do coração, estados de inquietação, distúrbios do sono, dificuldade de concentração, alterações de comportamento, bloqueios mentais, sensação de tontura, agitação interior, a sensação de estar sob tensão, zumbido nos ouvidos, perda de audição, distúrbios hormonais, depressões, irritabilidade e outros distúrbios podem ser a consequência do efeito crônico de oscilações eletromagnéticas. Mas também outros efeitos químicos e celulares podem se manifestar: aumento do colesterol (apesar da alimentação sensata), diabete, enfarte, fraqueza da medula, resultando na diminuição dos leucócitos e desenvolvimento de câncer. Aliás, os enfartes aumentaram 500% no século passado.

Em um relatório do conselho norte americano para a Proteção de Irradiações se lê que linhas de alta-tensão, bem como aparelhos elétricos de uso doméstico podem causar sérios perigos de saúde os quais podem se manifestar como câncer, Doença de Alzheimer, Mal de Parkinson e alterações hormonais. Vivemos em um mundo totalmente desequilibrado. Enquanto a eletricidade nos rodeia em todo lugar, o magnetismo da Terra fica cada vez mais prejudicado. Sem influências magnéticas o homem não pode viver. (os astronautas, por exemplo, ficam doentes no espaço, se não for produzido um campo magnético artificial). O magnetismo da Terra abastece o homem cada vez menos com forças magnéticas naturais, pois a sua influência é diminuída pela construção de edifícios e pela cobertura de grandes áreas com concreto, o que prejudica a vida especialmente nas grandes metrópoles.

Existem casos em que pessoas, mesmo após o tratamento intensivo, não conseguem livrar-se da bronquite, cistite, etc. O corpo não responde à terapia alguma. Essas pessoas sofrem de insuficiência ou excesso do campo magnético.

Diante desta situação de desequilíbrio, é grande a necessidade de restabelecer o equilíbrio no nosso planeta. É uma tarefa das mais importantes, que deveria preocupar os cientistas.